Embratur anuncia mudança na divulgação do Brasil: ‘agora o foco é na natureza’

Publicidade

Na última segunda-feira (27), o diretor-presidente da Embratur, Gilson Machado Neto (foto), se reuniu com o cônsul-geral do Brasil em Nova York, o embaixador Enio Cordeiro, para tratar sobre o aumento do fluxo de norte-americanos no Brasil, especialmente pela isenção de vistos, medida tomada pelo governo brasileiro no ano passado.

O diretor-presidente da Embratur concordou e anunciou uma mudança entre as metas para 2020. “A abertura de escritórios para ajudar na divulgação do Brasil no exterior. Um deles será nos Estados Unidos, onde há grande fluxo de turistas. Além disso, estamos mudando a forma de divulgação e promoção dos nossos destinos e atrativos turísticos”, comentou Gilson Machado. “Antes, o enfoque era no turismo de caipirinha, tanga e favela. Agora é voltado à natureza e ao ecoturismo”, completou.

Para o cônsul-geral, a isenção deverá fortalecer o turismo no Brasil. No entanto, ele acredita que esta não pode ser a única medida apresentada no país norte-americano, o segundo maior emissor de turistas ao Brasil.

“Acredito que foi uma grande decisão a medida adotada pelo presidente Jair Bolsonaro, pois gera um fluxo maior de visitantes norte-americanos para o nosso país. No entanto, somente a liberação do visto para os americanos pode não gerar efeitos para o aumento do número de turistas no Brasil. A Argentina, por exemplo, não exige visto de americanos há 20 anos e isso não fez aumentar. Devemos mudar a imagem do Brasil, tanto na parte de violência quanto na parte de conservação ambiental”, alertou.

Fonte: Mercado e Eventos