Fabian Bordon Trelha assume coordenação do G11

Publicidade

Solenidade foi realizada em Curitiba, durante Encontro Estadual de Gestores Municipais de Turismo

O Fórum G11 do Turismo Paranaense é constituído pelos 11 municípios de maior potencial turístico do Paraná: Curitiba, Foz do Iguaçu, Maringá, Londrina, Cascavel, Ponta Grossa, Guaratuba, Araucária, Guarapuava, Matinhos e Paranaguá. Para 2018, além dos atuais 11 municípios mais 11 foram selecionados para compor o grupo.

De acordo com o novo coordenador, o G11 é composto por dois municípios categorizados pelo Ministério do Turismo como A e nove como B. “A ampliação segue a mesma métrica, ampliando-se para os de Categoria C com seis municípios, três D e dois E. Cada município escolhido está em franco desenvolvimento e, além de se beneficiar da troca de experiências, irá certamente contribuir com os demais”, explica Fabian Bordon Trelha, também Diretor de Turismo da Prefeitura de Londrina.

Categorização

A Categorização (Portaria nº 144, de 27 de agosto de 2015) dos Municípios das Regiões Turísticas do Mapa do Turismo Brasileiro é um instrumento elaborado pelo Ministério do Turismo – MTur – para identificar o desempenho da economia do setor nos municípios que constam no Mapa do Turismo Brasileiro, instituído pela Portaria Nº 172, de 11 de julho de 2016. O instrumento, previsto como uma estratégia de implementação do Programa de Regionalização do Turismo, permite tomar decisões mais acertadas e implementar políticas que respeitem as peculiaridades dos municípios brasileiros. Os municípios com categorização A representam maior fluxo turístico e maior número de empregos e estabelecimentos no setor de hospedagem.

Desafios

Durante o Encontro Estadual de Gestores Municipais de Turismo, que aconteceu na última semana em Curitiba (PR), foi realizada a transmissão da coordenação do Fórum G11 do Turismo Paranaense à cidade de Londrina. Em solenidade, a Professora Elizabeth Schmidt passou a coordenação para Fabian Bordon Trelha.

Fabian conta que receber a coordenação foi uma grande honra e responsabilidade. “A professora Elizabeth Schimidt e o Prof. Jacó Gimennes conseguiram dar estabilidade e construir o difícil início de uma proposta como essa, com governança aberta e calcada na boa vontade, esperança e vontade de se construir algo melhor para cada município”.

Entre os maiores desafios ele alega que estão: manter o engajamento, ampliar o grupo, trazer novas oportunidades de interação e propagação dos conteúdos compartilhados, aprender com novas experiências e permeá-las a todos. “Tenho a expectativa de usar meios eletrônicos para facilitar as reuniões, disponibilizar as reuniões por Skype, Facebook ou similar, e incentivar ao máximo a troca de experiências entre as prefeituras envolvidas”, finaliza.