Feiras e eventos terão papel de destaque na retomada do turismo no Paraná

Publicidade

“Os turismos de negócio e de evento são atração de investimento e têm um papel de destaque na retomada do turismo (pós-pandemia)”. A frase é do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, em maio, durante videoconferência com o setor. O ministro reforçou que o setor deve ser fundamental, e que junto com o turismo doméstico deve marcar a retomada das atividades ao fim da crise.

E, neste cenário, duas cidades paranaenses aparecem em destaque nacional. Curitiba e Foz do Iguaçu estão entre as sete principais cidades brasileiras com maior número de congressos e eventos internacionais de acordo com o ranking da International Congress and Convention Association (ICCA).

Segundo o levantamento, referente ao ano de 2019, a capital paranaense (que ocupava a oitava posição na pesquisa anterior) ficou à frente de Florianópolis (SC), Belo Horizonte (MG) e Campinas (SP) no período, atingindo a sétima colocação. O top 3 do Brasil é composto por São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Foz do Iguaçu, respectivamente.

A ICCA determina algumas regras para a composição do ranking, entre elas serem eventos técnico-científicos, registrarem presença mínima de 50 participantes, estarem ao menos em sua terceira edição e serem realizados em países distintos.

“Curitiba tem potencial de melhorar ainda mais no ranking da ICCA. Estamos trabalhando para termos uma condição privilegiada pós pandemia e podermos estar à frente da concorrência na captação de mais eventos”, fala Paulo Iglesias, presidente do Curitiba e Região Convention & Visitors Bureau (CCVB).

Neste momento, todos os eventos estão adiados ou cancelados. A maioria foi remarcada para o segundo semestre.

Doméstico
O ministro do Turismo também reforçou a necessidade de fortalecer o turismo doméstico através da promoção dos destinos e do desenvolvimento do turismo rodoviário dentro das 30 rotas do Programa Investe Turismo. “Estamos trabalhando para criar um projeto de conectividade dos modais de transporte para ampliar a oferta turística. Isso vai fazer com que o número de turistas nacionais e internacionais cresça. Assim poderemos equilibrar a balança comercial do turismo que hoje está deficitária”, disse o ministro.

Sobre a liberação do crédito de R$5 bilhões para micro, pequenos e médios empreendedores do turismo, o ministro explicou que a fase de alinhamento com os bancos parceiros está quase concluída. “Estamos prestes a conseguir a modelagem do crédito e o dinheiro deve ser liberado nos próximos dias”, disse.

Fonte: Bem Paraná