ICMBio autoriza reabertura de parques nacionais do Iguaçu e Aparados da Serra

Publicidade

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão gestor dos parques e unidades de conservação federais, decretou, no inicio da semana, a reabertura da visitação em três parques nacionais: Iguaçu, no Paraná, e Aparados da Serra e Serra Geral, na fronteira entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Os parques estavam fechados desde o dia 17 de março como medida de prevenção à pandemia do novo coronavírus.

As Portarias nº 696 e nº 697, sobre Aparados e Serra Geral, e Iguaçu, respectivamente, foram publicadas hoje (09) no Diário Oficial da União, pelo presidente do ICMBio, coronel Homero Cerqueira. No texto de ambas consta que “a reabertura da unidade de conservação deverá respeitar as medidas de prevenção e a retomada das atividades de turismo e atrativos naturais estabelecidos pelos estados e municípios que se encontra localizada a unidade de conservação” e que a reabertura para visitação pública será feita “de forma gradual e monitorada, mediante cumprimento dos protocolos de segurança sanitária” estabelecidos pela Portaria. A visitação segue suspensa nas demais unidades de conservação federais.

Parque Nacional do Iguaçu é o segundo mais visitado do país, com mais de 2 milhões de visitantes em 2019; Aparados da Serra e Serra Geral, parques vizinhos que funcionam de forma integrada, recebem uma média de pouco mais de 200 mil visitantes anuais.

A reabertura oficial do Parque Nacional do Iguaçu será amanhã, quarta-feira (10), data de aniversário do município paranaense de Foz do Iguaçu, onde está localizada a entrada principal do parque. De acordo com a assessoria de imprensa do grupo Cataratas do Iguaçu, concessionária que gere o uso público e os atrativos no parque, o plano de reabertura vem sendo desenhado desde o dia 18 de março, quando a visitação foi suspensa.

O Centro de Visitantes do Parque Nacional do Iguaçu contará com uma barreira sanitária, como uma das medidas preventivas para reabertura. Foto: Duda Menegassi

Entre os cuidados que serão adotados estão: a restrição da visitação, que terá o limite máximo de 350 pessoas por dia; a sanitização dos ambientes e disposição de álcool gel para os visitantes; horário de funcionamento reduzido, das 9h às 16h e fechado às segundas-feiras; uso obrigatório de máscaras; e o distanciamento social nos espaços e filas. Além disso, será montada uma barreira sanitária no Centro de Visitantes, com tapete sanitizante para os calçados e onde será aferida a temperatura dos visitantes.

“Em Foz do Iguaçu a indústria da cidade é o turismo, foi um pedido de todas as entidades e toda cadeia da cidade, que vive da atividade turística. O plano de reabertura foi construído ao longo de dois meses e tem como objetivo recuperar empregos e dar o mínimo de condição para as pessoas trabalharem”, explica o coordenador de imprensa, Wemerson Augusto. Em conversa com ((o))eco, Wemerson acrescentou que “a expectativa nesse momento é receber o público local e do oeste do Paraná, não acreditamos que virá turismo internacional nem mesmo de fora do estado”.

Neste estágio inicial da reabertura, também não serão realizadas visitas técnicas de escolas, universidades e entidades sociais e culturais. “Esse programa de atendimento será restabelecido somente quando a visitação turística retomar de forma integral”, conforme nota oficial da administração do Parque Nacional do Iguaçu.

A reabertura de Aparados da Serra e Serra Geral

O operador de ecoturismo Josemar Contesini, da Aparados da Serra Adventure, contou ao ((o))eco que a reabertura do parque não foi um consenso, “a maior parte do trade turístico de Cambará do Sul era a favor da abertura, mas havia também um parte contrária, que queria aguardar mais um pouco, porque os gráficos mostram que a Covid ainda não estacionou e não começou a descer”.

Josemar, que também ocupa uma das vagas no Conselho Consultivo da unidade de conservação, acrescenta ainda que a cidade só teve dois casos confirmados de Covid-19 e que a doença não se propagou no município gaúcho. “Foi uma discussão entre todas as entidades, associações e conselhos locais do trade turístico, e muito em contato com o prefeito e com o presidente do ICMBio. Foi enviado um ofício de todas as entidades de Cambará juntas, dizendo que estão preparadas para começar gradativamente a atender o fluxo turístico da reabertura. E Brasília enfim sinalizou positivamente à reabertura, diante do nosso compromisso, e a princípio já está aberto a partir de hoje”.

A retomada da visitação inclui todos os atrativos, não apenas os mirantes de mais fácil acesso, mas também todas as trilhas. Assim como no Parque Nacional do Iguaçu, a expectativa nos parques de Aparados e Serra Geral, localizados na fronteira entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina, é de que o perfil do público mude, “antes era gente do Brasil inteiro, agora vai regionalizar”, conta o operador turístico. “O que a gente não sabe é o público, se vai vir, se vai consumir, isso ainda é uma incógnita”, completa.

Cânion Itaimbezinho, um dos principais atrativos do Parque Nacional de Aparados da Serra, poderá voltar a ser visitado. Foto: Duda Menegassi

“A gente vê a sociedade aqui numa discussão muito saudável sobre a preocupação de trazer o vírus para dentro da cidade e da sua própria família, então as agências vão até superar as exigências que foram colocadas na Portaria, porque essas coisas básicas como álcool gel, máscara, distanciamento social, isso nem se discute. Agora todo mundo vai ter que melhorar a prestação de serviços, não só com relação às regras de prevenção do Covid, mas sim do seu produto ser muito mais atrativo do que era antes para fazer esse cliente consumir”, explica o guia e conselheiro.

Diferentemente do parque paranaense, Aparados da Serra e Serra Geral não contam com uma concessionária para organizar diretamente a retomada da visitação. Ainda segundo Josemar, ainda há hotéis e restaurantes do município que permanecem fechados, mas a expectativa é de que a maioria volte a operar até o feriado de Corpus Christi, nesta quinta-feira (11).

O Covid-19 nos municípios dos parques

De acordo com os dados do Lagom Data, que monitora os casos de coronavírus nos municípios brasileiros, nos municípios onde estão os territórios dos parques nacionais de Aparados da Serra e Serra Geral houve até o dia 7 de junho, 12 casos confirmados de Covid-19 e nenhuma morte. Foram 5 casos em Praia Grande, 5 em Jacinto Machado e apenas 2 em Cambará do Sul.

Já nos 5 municípios no entorno do Parque Nacional do Iguaçu, foram registrados 164 casos e 3 mortes, todas elas em Foz do Iguaçu, onde estão a maioria dos casos (132). Completam a lista os municípios de Céu Azul, com 9 casos; Matelândia, com 1 caso; Medianeira, com 20 casos; e São Miguel do Iguaçu, com 2 casos confirmados (Fonte: Lagom Data).

De acordo com as informações oficiais do Ministério da Saúde do Brasil, até o momento o país contabiliza 37.134 óbitos e 707.412 casos confirmados de Covid-19.

Cenário nacional de reabertura dos parques

((o))eco procurou a Assessoria de Imprensa do ICMBio para saber mais informações sobre o processo de reabertura dos parques nacionais e se existem outras unidades de conservação federais cuja retomada da visitação está sendo estudada, ou mesmo qual o critério do órgão para pensar nessas reabertura. O ICMBio oficializou que está redigindo internamente uma nota oficial sobre o tema, mas até o fechamento desta edição ((o))eco não obteve resposta às perguntas ou acesso à Nota Oficial.

Atualização às 23h00 de 09/06:

A Assessoria de Imprensa do ICMBio encaminhou ao ((o))eco a seguinte Nota Informativa: “O ICMBio informa que a reabertura dos parques nacionais administrados pelo instituto será realizada de forma gradual e com alinhamento com os estados e municípios. Para cada caso é estabelecido um plano, que deve determinar o número máximo de visitantes para evitar aglomeração e informar os atrativos disponíveis para visitação, entre outras regras estabelecidas nesse momento de pandemia.”

Fonte: O Eco