Jacó Gimennes é idealizador do Dia do Turismo Regional no Paraná

Publicidade

Com foco nas pessoas e em ações que amplificassem a atenção ao Turismo Regional no Estado, data foi criada por meio de Lei Estadual

A Rede de Turismo Regional (RETUR) surgiu em 1998, na região de Campo Mourão, a partir da implantação do Programa Nacional da Municipalização do Turismo (PNMT), com a realização do I Seminário Estratégico “Rede de Turismo Regional”. Fundada por Jacó Gimennes, atualmente presidente da Paraná Turismo, a entidade foi certificada como Organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP) em 06 de outubro de 2003, data que marca o Dia do Turismo Regional no Paraná.

“O reconhecimento da RETUR como OSCIP inspirou o Deputado Estadual Douglas Fabrício a apresentar um projeto em 2012, que virou a Lei Estadual número 9.790/99, reconhecendo a história pioneira da RETUR em prol do turismo regional. Consequentemente a lei também estipulou, assim, o Dia 06 como Dia do Turismo Regional”, explica Jacó.

Segundo a presidente da RETUR, Wanda Pille, a idealização da entidade é anterior a regionalização do Turismo. “Pelo fato da região, na década de noventa, ser considerada apenas como emissora de turismo, o mérito da RETUR foi trabalhar estratégias com os recursos regionais e buscar uma fatia do Turismo Regional”.

Semana do Turismo Regional

Com o marco do Dia do Turismo Regional, Jacó Gimennes, na condição de presidente da Paraná Turismo, instituiu a Semana do Turismo Regional, a ser celebrada de 01 a 06 de outubro. Nesta Semana, em especial, a intenção é que o Paraná turístico, formado por 14 regiões turísticas e pelos 283 municípios que fazem parte do Mapa do Turismo Brasileiro, mostre iniciativas na promoção da regionalização do Turismo.

Para o presidente da Paraná Turismo e fundador da RETUR, o Dia do Turismo Regional e a Semana Paranaense do Turismo Regional colocam o Paraná na vanguarda de iniciativas estratégicas. “É assim que criamos a cultura empreendedora firmada de que não existem lugares sem recursos turísticos, mas lugares sem projetos. Se quisermos fazer do Turismo um instrumento de política pública de desenvolvimento, temos que assumir a consciência de que somos Produtores de Turismo”, diz.