Maior Trilha Aquática do Brasil chega em Querência do Norte

Publicidade

Em outubro, equipe de voluntários e do Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema estiveram no Porto Natal, município de Querência do Norte/PR, realizando a demarcação e a sinalização rústica da Rota dos Pioneiros, a maior trilha aquática do Brasil, uma trilha de longo curso com quase 400 quilômetros, criada com o objetivo de conectar as unidades de conservação do rio Paraná e de seus afluentes.

Os participantes do projeto sinalizaram 29 km de rio, conectando o Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema ao Porto Natal, importante ponto de parada na Rota e que é utilizado pela empresa Pachamama Expedições como local de pernoite nos passeios de caiaque. Neste trecho a aventura tem como início o Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema e ao longo de dois dias os caiaqueiros, passam por ilhas e canais em uma região rica em biodiversidade e vegetação exuberante. Passam um pernoite no Porto Natal e seguem no dia seguinte por belas praias de água doce até chegarem no Porto Camargo, ponto de parada para o Parque Nacional de Ilha Grande. Com sorte os visitantes podem observar jacarés, bugios e capivaras ao longo da trilha aquática e, no parque estadual principalmente, é muito comum encontrar o cervo-do-pantanal. Para os amantes da observação da avifauna o parque, com 302 espécies de aves, é um prato cheio.

O chefe do parque estadual, Reginaldo de Oliveira, explica que este é um trabalho voluntário e que cada trecho da trilha é implantado e mantido pela própria comunidade local. “É super importante sinalizar este trecho e retomar as atividades de sinalização, para motivar as outras regiões a realizar o mesmo trabalho”, destacou. Reginaldo lembrou que as atividades foram interrompidas por conta da pandemia, que para a realização do trabalho foram tomadas as devidas medidas sanitárias e que, apesar da retomada das atividades de sinalização, o parque ainda permanece fechado.

Chegando em Querência do Norte, a equipe participou de um plantio simbólico em alusão ao Dia da Árvore (21 de setembro), realizado pela prefeitura municipal e da instalação de placas que informam ao visitante de que o local está inserido na Área de Proteção Ambiental das Ilhas e Várzeas do Rio Paraná. A Prefeitura Municipal de Querência do Norte-PR, por meio Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico (Divisão de Turismo) explicou que melhorias estão sendo realizadas no porto para atender melhor os visitantes e que em breve será dada continuidade a demarcação da trilha até o rio Ivaí, na divisa com o município de Icaraíma/PR.

Segundo o secretário-geral da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso, o biólogo Erick Xavier, a adequação dos portos é fundamental para o sucesso da trilha de longo curso. “Os visitantes precisarão de condições mínimas que atendam suas necessidades básicas, tais como área de camping, sanitários com chuveiros e fonte de água potável. Por isso, os portos ao longo do rio Paraná são estratégicos para alavancar o turismo regional. A trilha aquática também é uma oportunidade para geração de emprego e renda, afinal, estabelecimentos que prestem serviços de alimentação, hospedagem, passeios e aluguel de equipamentos, enriquecem a experiência e atraem um publico maior de turistas”, explicou, justificando a necessidade de se investir em melhorias nestas localidades.

 

A retomada das atividades de sinalização da trilha aquática foi marcada pelo lançamento do primeiro guia da Rota dos Pioneiros, contendo um resumo com dicas de segurança, pontos de apoio e mapa atualizado da trilha aquática. A Rota dos pioneiros é dividida em 3 regiões: rio Paranapanema, conectando o Parque Estadual do Morro do Diabo e a Estação Ecológica do Caiuá, rio Paraná conectando a Estação Ecológica do Caiuá ao Parque Nacional de Ilha Grande, passando pelo Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema – região que está sendo implantada nesta primeira etapa – e, finalmente, o lago de Itaipu, conectando o Parque Nacional de Ilha Grande ao Parque Nacional do Iguaçu.

A trilha aquática está inserida do Corredor de Biodiversidade do Rio Paraná e faz parte da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso, associação que reúne e organiza o sistema de trilhas brasileiras, conectando as unidades de conservação do país, a exemplo do que já ocorre pelo restante do mundo. Ao todo são 10500 km planejados e 3500 km de trilhas implantadas pelo território nacional.

Por Erick Caldas Xavier

Fotos Erick Caldas Xavier