Nova Olímpia

Publicidade

Existem registros que os primeiros habitantes da região foram os índios Xetás oriundos da gleba dourados. A colonização de Nova Olímpia se deu na segunda metade do ciclo econômico do café. Em busca de terras baratas, permitindo que instalassem grande número de pequenos proprietários rurais em propriedades de pequeno porte, 20 a 30 famílias oriundas dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e de outras cidades do Paraná ocupavam a cidade diariamente.

As primeiras ocupações se deram na única estrada que havia no município e que ligava Tapira a Cruzeiro do Oeste. Hoje, neste trecho da estrada, se localiza uma das primeiras ruas da cidade, a Rua Paraná e a Praça da República, onde foi rezada a primeira missa campal.

Em 1947 chegou à região de Umuarama Moacir Loures Pacheco, proprietário da Colonizadora do Paraná Ltda. Moacir herdou a empresa e as terras (onde hoje está Nova Olímpia) de seu pai Geniplo dos Santos Pacheco, que havia recebido esta área em 1924 como pagamento pela construção de estradas. No início da década de 1950, Moacir e seu sócio, Mário de Aguiar Abreu, contrataram o engenheiro Osvaldo Formighieri que desenvolveu a planta da cidade às margens da antiga estrada que ligava Tapira a Cruzeiro do Oeste.

Até então estas terras faziam parte do município de Cidade Gaúcha, onde predominavam as pequenas e médias propriedades rurais. O projeto original de Osvaldo, tem a forma de dois hexágonos acoplados. Um destes hexágonos se desenvolve em torno da Praça da República e teve uma ocupação homogênea numa segunda fase de consolidação da área urbana.

Quando começaram a surgir as primeiras casas em Nova Olímpia sentiu-se a necessidade da prática religiosa, então várias pessoas organizaram, no ano de 1959, uma festa com a presença do Padre, para celebrar a primeira missa que seria na Praça da República. A missa não foi realizada pelo fato de ter chovido muito no dia e a celebração foi adiada para o dia 6 de agosto de 1960 – com a presença do Frei Gaspar.

Antes de ser elevada à categoria de município, Nova Olímpia pertencia ao município de Cruzeiro do Oeste. Em 2 de fevereiro de 1967 a mesma passou a pertencer a Tapira, voltando mais tarde a pertencer novamente a Cidade Gaúcha (PR). Foi elevada a categoria de distrito em 23 de setembro de 1964 (Lei nº 4.930) e a nível de município em 13 de novembro de 1967 (Lei nºo 5.704), tendo sido instalado em 15 de dezembro de 1968.

A comunidade comemora o aniversário da cidade no dia do padroeiro, Senhor Bom Jesus, em 6 de agosto. O nome do município é uma homenagem à mãe do fundador, Olímpia Loures Pacheco.

O Parque do Lago e a Praça do Trabalhador são os pontos turísticos, além dos inúmeros rios e quedas da região. Balneário e Pesqueiros também contam com grande visitação. Um dos grandes eventos do município é o Rodeio que acontece anualmente, geralmente em setembro, com várias atrações e cantores famosos.

Dicas

Pesque e Pague Rodrigues

Finais de semana – 09h – 22h

 

Balneário e Pesqueiro Sol Nascente

Estrada Bela Vista – (44) 98841-2604

Verão: terça a domingo 09h – 22h. Outras estações, nos finais de semana 09h – 22h

 

Hotel, Restaurante e Pizzaria do Beto

Av. Higienópolis

(44) 3685-1971

 

H Hara Petiscaria

Rua Curitiba, 240

(44) 98858-4141

 

Stop Restaurante

Avenida Higienópolis, 339

(44) 3685-1649

Galeria de fotos

Publicidade

Datas comemorativas

  • Aniversário do Município15 de dezembro

Eventos

  • Campeonato Amador Regional Cajuzão fevereiro
  • Campeonato Regional Feminino Futuro Futsal abril
  • Campeonato de Futsal Amigos da Bola abril
  • Dia Esportivo no Lago Municipal maio
  • Dia Esportivo no Lago Municipal maio
  • Jogos Escolares Municipais agosto
  • Torneio 7 de Setembro setembro
  • Campeonato Municipal de Futebol Suiço Municipal outubro
  • Campeonato Regional Amigos da Bola de Futebol Suiço novembro
  • Meia Maratona do Povo dezembro