Verê

Publicidade

Revolta dos Posseiros

O ano de 1957, ficou marcado na história de Verê, por um conflito de terras conhecido como “Revolta dos Posseiros” ou “Revolta dos Colonos”.

Posseiros e representantes das companhias colonizadoras travaram uma batalha que resultou em várias mortes.

À esquerda do Rio Marrecas e, após sua foz, continuando à esquerda do Rio Santana, começava a Colônia Missões, que desde o início do ano de 1940 vinha sendo disputada entre o Governo Federal, através da CANGO – Colônia Agrícola Nacional General Osório, cuja sede era em Francisco Beltrão, a CITLA – Clevelândia Industrial e Territorial Ltda e o Governo do Estado, que também tinha interesse naquela gleba de terra.

No dia 2 de agosto de 1957 posseiros e representantes das companhias colonizadoras enfrentaram-se e algumas pessoas morreram.

O objetivo dos colonos acabou sendo alcançado, o escritório de uma companhia colonizadora em Verê foi incendiado e houve uma retirada geral de Verê e do Sudoeste do Paraná.

Em 10 de outubro do mesmo ano, um grande levante com milhares de posseiros tomou a cidade de Francisco Beltrão, demonstrando a decisão dos colonos de resistir aos representantes das companhias até mesmo com a morte.

O Município de Verê tornou-se Distrito Administrativo de Pato Branco, a partir da Lei Municipal nº 26 de 26 de junho de 1953.

Em 1960 passou para a jurisdição de Dois Vizinhos, do qual foi desmembrado em 24 de junho de 1963, pela Lei Estadual nº 4.729.

A sua instalação oficial ocorreu em 26 de outubro de 1963, tendo como primeiro prefeito Luiz Francisco Paggi.

Além da sede existem dois distritos: Sede Progresso (criado pela Lei Estadual nº 5.603 de 27 de julho de 1967) e Presidente Kennedy (criado pela Lei Estadual nº 5.625 de 30 de agosto de 1967).

A ocupação da área, que compõe atualmente o município, teve início no ano de 1920, e foi intensificada a partir das décadas de 1950 e 1960, com a leva de migrantes, advindos da região central de Santa Catarina e do norte do Rio Grande do Sul.

A palavra Verê é um advérbio de origem linguística Caigangue (homenagem ao cacique Caigangue Viry de Guarapuava, que foi amigo dos povoadores) e significa ‘’Sempre; Eternamente; Constantemente.”

O lazer em Verê é pelas Águas Termais que atraem turistas de todos os cantos do Brasil e exterior.

Dicas

Águas do Verê Termas

O Águas do Verê Termas possui uma ampla área verde, com vista para o Rio Chopim, um dos maiores rios do estado. Com a natureza exuberante, rica na sua fauna e flora, com espécies regionais, o Hotel também possui uma das melhores águas termais do Brasil, que brotam naturalmente de suas fontes, com temperatura de 36,5ºC, com excelentes propriedades minerais e medicinais, com poder relaxante e cicatrizante, sendo que todos os anos milhares de pessoas buscam neste local uma fonte de energia e rejuvenescimento.

No Águas do Verê Termas o hóspede tem á sua disposição a inovadora estrutura do Circuito Interno de Hidromassagem, uma idéia trazida da Europa e ofertada com muita qualidade e conforto aos hóspedes do Termas. O efeito produzido favorece a descontração e a oxigenação muscular contribuindo para a reposição das energias e uma intensa sensação de tranquilidade.

Toboáguas adulto e infantil

Lago das Pontes- um cantinho todo especial, desenhado por um belíssimo lago para pesca que tem acesso por saudáveis caminhadas, com vistas ao rio Chopim.

Quadriciclos e Bicicletas, Boliche, Salão de Jogos e Academia, Quadras, Trilha Nativa e Slack Line

Pousada Casa Verê 

A Pousada Casa Verê proporciona um ambiente no estilo rústico, de tijolo a vista, e muito conforto. Os quartos possuem ar condicionado e banheiro privativo e pelas janelas pode-se ver muito verde e sentir o clima da natureza.
A família Anfitriã mora no local e os recebe. A Pousada em parceria com Águas do Verê Termas, oferece a opção da compra de Day Use no Termas que oferece piscinas de água termal e estrutura excelente para todas as idades, com as 3 refeições.

Galeria de fotos

Publicidade