O que vai mudar no turismo após pandemia de Covid-19?

Publicidade

Algumas pessoas aguardam ansiosamente pelo fim do isolamento acreditando que será como o sinal (sino, sirene, campainha, chame como quiser) de fim de aula, em que todos os alunos saem correndo, só que ao invés de cada um ir para sua casa, todos sairiam para as ruas para fazer o que mais sentem falta. Mas a verdade é que o fim do isolamento está mais para uma espécie de alta, que uma mãe recebe após um parto.

Ela sairá do hospital, mas a vida dela nunca mais será a mesma. Sim! A pandemia será um marco para todo o mundo. Este é um momento de ruptura em que muitas coisas irão mudar. E é claro que o turismo, que até o momento é um dos setores que mais sofreram impactos nesta pandemia, também passará por muitas mudanças. Vocês já pararam para pensar o que vai mudar no turismo/viagens após a pandemia de Covid-19?

Tenho lido e pesquisado bastante sobre este assunto até porque sou uma profissional do setor e preciso saber quais rumos tomar e algumas análises são bem semelhantes. Vou dividir em alguns pontos:

1 –Vai levar tempo

A Organização Mundial de Turismo – OMT estimava uma previsão de crescimento do turismo global entre 3 e 4% em 2020. Agora com a pandemia, a Organização calcula uma queda entre 20 a 30% nas viagens e uma perda estimada de US$ 300 a 450 bilhões nos gastos dos viajantes internacionais somente este ano.

Para a OMT, o setor, que é responsável por 1 em cada 10 empregos no planeta, vai levar entre de 5 a 7 anos para recuperar as perdas de 2020.

A própria OMT com o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), pede aos inovadores e empresários que apresentem novas soluções para ajudar o setor de turismo a se recuperar do COVID-19, por meio de uma competição que está com inscrições abertas até o dia 10 de abril.

2 – Turismo regional

Nordeste é apontado em pesquisa como destino preferido no pós confinamento
Nordeste é apontado em pesquisa como destino preferido no pós confinamento

Mesmo que o isolamento acabe, se não houver uma vacina e um medicamento para curar a doença, as pessoas vão continuar com medo, pois o vírus continuará circulando. Então, em um primeiro momento, as pessoas tenderão a preferir o turismo regional, locais em que possam ir de carro e que não tenham grandes aglomerações. Num segundo momento, seria o turismo nacional e por último o turismo internacional.

A pesquisa PULSO TURISMO E COVID-19, realizada pelo TRVL LAB – Laboratório de Inteligência de Negócios em Viagens, projeto da PANROTAS com a MAPIE, divulgada na sexta-feira (03), apontou essa tendência.

Entre os viajantes, 60,48% afirmam que não pretendem voltar a viajar internacionalmente até que haja confiança no controle da pandemia, mesmo após o fim do isolamento. Este número cai para 45,36% quando se relaciona às viagens nacionais. 31,62% não conseguem decidir neste momento sobre viagens futuras.

pesquisa apontou ainda que o  Nordeste deve ser o destino escolhido pela maioria dos viajantes no pós-crise causada pela pandemia do coronavírus.

 

3- Viagens de experiência 

Viajantes buscarão por experiência mais autênticas
Viajantes buscarão por experiência mais autênticas

A forma de viajar certamente irá mudar. Os especialistas acreditam que as viagens de experiências serão mais valorizadas de agora em diante. E os consumidores tenderão evitar o chamado “overtourism” (com grandes aglomerações) e buscar viagens mais exclusivas e autênticas, que propiciem experiências diferentes, como turismo solidário, ecológico, gastronômico, etc.

4- Sustentabilidade

Praia de Maya Bay antes de ser fechada para visitação devido aos danos ambientais
Praia de Maya Bay antes de ser fechada para visitação devido aos danos ambientais

Um ponto importante que deverá ser analisado pelos viajantes pós-pandemia é a questão da sustentabilidade. Destinos e viagens mais sustentáveis deverão ser uma tendência, uma vez que é esperada que uma próxima crise da humanidade seja causada pelas mudanças climáticas.

Vale lembrar que alguns destinos sofreram bastante com o overtourism, um desses exemplos é a Tailândia, que precisou proibir o acesso a famosa praia de Maya Bay.

A responsabilidade social também deve passar a ser uma das exigências desse novo viajante.

5- Segurança sanitária

Para os especialistas, assim como 11 de setembro mudou completamente as normas de segurança no setor do turismo, a pandemia tenderá a mudar as normas de segurança sanitária.

6 -Transformação digital das empresas

A pandemia tem feito praticamente todos os setores se reinventarem e buscarem uma transformação digital. Da mesma forma será para o setor do turismo. Acredita-se que cada vez mais o consumidor estará mais digitalizado e exigente, o que irá demandar mudanças das empresas que prestam serviços para o turismo neste sentido. Por outro lado, muitas pessoas tiveram que lidar com dificuldades na hora de cancelar ou remarcar uma viagem devido ao isolamento, o que poderia ser amenizado, se tivesse um consultor de viagens. O papel do especialista em viagens, chamado de consultor ou design de viagens, poderá crescer no pós-pandemia. O futuro do turismo seria aliar a praticidade das novas tecnologias com o toque humano.

Aliás, um dos motivos para eu não ter falido completamente nesta pandemia é que a agência Compartilhe Viagens é completamente digital.

E você, o que acha que irá mudar no mundo das viagens após essa pandemia? Deixe aqui seu comentário.

Fonte: Compartilhe Viagens