Propósitos por Maringá mais Turística

Publicidade

Jacó Gimennes

Em um segundo mandato pode-se muito mais, pois os aprendizados, serão alicerces no processo de avanços, com ousadia e determinação.

Como estudioso, sinto o dever de querer o melhor para minha Maringá.
Maringá está em um momento de definições, podendo se consolidar ou não como turística.
Nunca se chegou tão próximo. Mas não o suficiente.
Não podemos correr o risco de perder este momento histórico.
Assim, apresento esta colaboração, apontando pontos acertados, desafios e estratégias para avançar.

Entre os muitos pontos de acertos, quero destacar:

 Transformação da Gerência de Turismo em Diretoria de Turismo;
 Realização da I Conferência Municipal de Turismo;
 Criação do projeto natalino Maringá Encantada, com visão de Turismo de Eventos, com geração de renda, oportunidades de trabalho e promoção da cidade;
 Criação da Feira do Artesanato – Parque do Ingá;
 Melhorias da infraestrutura e funcionamento do Aeroporto de Maringá;
 Retomada da Gestão Municipal do Parque do Japão;
 Revitalização das Praças de Maringá e o embelezamento com flores, como no caso do canteiro central da Av. Cerro Azul;
 Proposição do Plano Estratégico do Turismo, elaborado de forma participativa, no segundo semestre de 2020;
 Valorização do Perfil Técnico na escolha do atual Diretor de Turismo.

Uma reeleição se justifica no enfrentamento dos desafios, entre eles:

 Londrina conquistou a Categoria A, no Mapa Brasileiro do Turismo, ficando junto com Curitiba e Foz do Iguaçu. Enquanto que Maringá permaneceu na categoria B, onde tem a companhia de Umuarama e outras 12 cidades.

 Maringá tem o Fundo Municipal de Turismo desde 1998, ainda só no papel. Precisa ser implementado como Política Pública, dando assim, melhores meios para uma Gestão de Desenvolvimento pelo Turismo;

 O CMTUR-Conselho Municipal do Turismo que já foi forte e modelo, hoje está desmotivado e precisa de reinvenção, que só terá crédito com o Prefeito a frente deste processo, ou o Vice-Prefeito por sua delegação;

 Maringá será mais forte no Turismo se o Turismo Regional da AMUSEP for também forte. Contudo, nos últimos anos houve um grande retrocesso, por falta de visão da maioria dos prefeitos e, somente uma atuação pró-Turismo Regional, com Maringá, mais solidária, poderá ser mudado este quadro. Cabe registrar que o número de municípios da AMUSEP no Mapa Brasileiro do Turismo, é o menor entre as demais Associações de Municípios do Estado do Paraná.

 Não se pode sonhar alto, sem ter a formação de quadros universitários, assim, urge negociar com o Governo Estadual, os recursos para a Reitoria da Universidade Estadual de Maringá dar andamento a criação do Curso Superior em Turismo, projeto esse já desencadeado naquela instituição por minha iniciativa, quando na Presidência do CMTUR de 2013 a 2015.

Entre muitas estratégias para avançar, quero destacar as seguintes:

 Mudar o status do Turismo com uma nova estrutura de gestão, com as opções: Secretaria (Prudentópolis), Fundação (Ponta Grossa) ou Instituto (Curitiba), pois, permanecer no estágio de Diretoria não coaduna com a pujança de Maringá, e assim, renunciar possibilidades do setor;

 Pactuar um novo relacionamento de alianças e parcerias com o Setor de Eventos de Maringá, o mais atingido pela Pandemia, retomando o diálogo para criação de um ambiente favorável, na construção de formas de apoio na recuperação competitiva do setor, o qual, é responsável direto pela promoção da cidade, bem como na movimentação da economia;

 Formalizar a Governança Executiva do Turismo, com quem “vive e faz” o Turismo acontecer, a saber: OMT, CMTUR, CVB, RETUR e SEBRAE. A Governança Representativa é exercida pelo CMTUR, mas para a administração municipal, não ficar sozinha nas demandas do dia a dia, é urgente Maringá ter a sua Governança Executiva do Turismo.

 Exercer a força de Maringá junto ao Governo do Estado, para destinação de recursos para a UEM, poder concluir seu moderno e amplo Centro de Eventos, cujas obras encontram-se paralisadas há anos, mesmo já tendo 2/3 concluídos. Esta ação de liderança política, vai contribuir para em curto espaço de tempo, ampliar a competitividade de Maringá na atração de eventos.

Acredito sempre que propósitos de valor, podem mover administrações fazendo dos desafios, oportunidades de transformações. Que o Turismo em Maringá tenha a hora e a vez para ser visto e tratado como instrumento de políticas públicas pelo desenvolvimento sustentável.

Maringá, 15/12/2020.