Retrospectiva 2020: Em direção a um turismo mais qualificado e eficiente

Publicidade

O ano de 2020 ressignificou o turismo em todo o mundo, que precisou se reinventar e adaptar-se a uma nova realidade diante da pandemia de Covid-19, após viver o seu melhor ano no Brasil, em 2019. Diante dos cancelamentos de viagens em consequência das restrições de circulação de pessoas, coube à Secretaria Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo (SNDTur), em nome do Ministério do Turismo, atuar para proteção dos consumidores e, ao mesmo tempo, proteger o emprego e a vida de quem tira do turismo o seu sustento e faz o Brasil crescer.

Lançada no início de abril, com o slogan “O Brasil espera por você”, a campanha “Não cancele, remarque” estimulou turistas sobre a possibilidade de não cancelar, mas sim adiar viagens e pacotes turísticos. A ideia foi permitir que o setor mantivesse sua força para uma posterior recuperação, a partir do retorno seguro dos passeios. Em complemento à campanha, a SNDTur apoiou e articulou, por meio da Medida Provisória 948, a regulamentação das relações de consumo, garantindo os direitos dos consumidores e impedindo a falência de empresas do setor. A MP trouxe regras claras para o cancelamento e a remarcação de reservas tanto no turismo como na cultura.

A Secretaria também atuou na divulgação de outras iniciativas do Ministério do Turismo lançadas para a proteção do setor. Entre elas está a campanha sobre a disponibilização de crédito histórico de R$ 5 bilhões, por meio do Fundo Geral do Turismo (Fungetur), para auxiliar empreendimentos turísticos durante a pandemia. E, desta forma, possibilitar um fôlego ao setor para que pudesse sobreviver aos efeitos da pandemia e se preparar para a retomada das atividades.

“Em momentos de adversidade, como vivenciamos neste ano, tivemos a oportunidade de nos adaptarmos em busca da recuperação do setor, demonstrando a nossa capacidade de superação. A SNDtur, a todo o momento, buscou oportunidades de fortalecimento do setor. Por isso, promovemos campanhas educativas, qualificamos profissionais e demos continuidade às nossas ações para o desenvolvimento da potencialidade do turismo brasileiro”, destacou o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, William França.

Retomada

O Ministério do Turismo iniciou a preparação do setor para a retomada das atividades turísticas no país por meio da Secretaria Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, criando o “Selo Turismo Responsável, Limpo e Seguro”. Desta forma, o Brasil foi um dos 10 primeiros países do mundo a lançar protocolos de biossegurança para 15 atividades turísticas, como meios de hospedagem, parques temáticos, restaurantes, cafeterias, bares, feiras, exposições, guias de turismo, entre outros.

O selo já conta com mais de 24 mil adesões e indica os empreendimentos e atrativos que estão adotando as medidas de proteção e segurança sanitária recomendadas contra a Covid-19.

Em novembro, o Ministério do Turismo lançou a campanha Retomada do Turismo, também por meio da SNDTur. A campanha, que é parte de uma aliança nacional para organizar e iniciar este retorno, apresenta um enxoval de peças para cada estado, destacando os principais atrativos de cada localidade e, assim, convidando os brasileiros a viajarem com responsabilidade e a redescobrirem o país. A iniciativa busca acelerar, de forma segura e responsável, a retomada das atividades turísticas no país, que são geradoras de emprego e renda para a população.

Qualificação

O ano de 2020 também trouxe a expansão da qualificação gratuita de trabalhadores e gestores do setor de turismo. Isso porque, a qualificação em larga escala é um fator diferencial de competitividade no setor de turismo, proporcionando, ao mesmo tempo, o desenvolvimento na carreira dos colaboradores e a oferta de serviços e um atendimento mais qualificado ao turista.

Os destaques vão para o curso Gestor de Turismo (CGT), que busca qualificar gestores públicos e privados de qualquer atividade relacionada ao turismo, e o curso Brasil Braços Abertos (BBA), voltado à capacitação no atendimento ao turista. Juntos, os dois cursos formaram 5.579 pessoas em 2020.

É preciso registrar, ainda, o início, neste ano, do programa Qualifica + Turismo, iniciativa desenvolvida em parceria com a Universidade de Brasília (UnB) que busca identificar as principais necessidades de qualificação de cada rota turística estratégica do país e, desta forma, direcionar as capacitações para trabalhadores e gestores do setor.

Com isso, o Ministério do Turismo já abriu três cursos de capacitação para atender as reais demandas de duas rotas turísticas estratégicas: Corredor do Iguaçu, no Paraná; Belo Horizonte e Cidades Históricas de Minas, em Minas Gerais; e “Teresina e Serra da Capivara”, no Piauí. Todas as 30 rotas turísticas estratégicas do programa Investe Turismo serão contempladas com cursos de qualificação.

O ano de 2020 também foi o trampolim para o alcance de 118.786 prestadores de serviços inscritos no Cadastur, cadastro nacional que reúne empresas e profissionais que atuam no setor de turismo. O número é 20% maior do que o registrado no ano passado (98.986) e representa a formalização e legalização dos serviços turísticos no país através de um esforço permanente do Ministério do Turismo, através da SNDTur. Segundo a Lei Geral do Turismo, o Cadastur é obrigatório para sete categorias do setor: guia de turismo, agência de turismo, meios de hospedagem, transportadora turística, organizadora de eventos, acampamento turístico e parque temático.

Cidades Criativas

A inovação para o desenvolvimento do turismo também compõe as atividades da Secretaria Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, que criou, em outubro deste ano, uma comissão para discutir e estimular a economia criativa, por meio do turismo e cultura, nos municípios brasileiros.

Atualmente, dez cidades brasileiras possuem o selo de “cidades criativas”, concedido pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). São elas: Belém (PA), Florianópolis (SC), Paraty (RJ) e Belo Horizonte (MG), no campo da gastronomia; Brasília (DF), Curitiba (PR) e Fortaleza (CE), em design; João Pessoa (PB), em artesanato e artes populares; Salvador (BA), na música; e Santos (SP), no cinema.

A ideia é estimular mais cidades a usarem o seu capital criativo e inovador para promoção do desenvolvimento. Para isso, o grupo de trabalho deve apresentar, em 2021, uma proposta para a criação da Rede Brasileira de Cidades Criativas.

Gastronomia

E para fechar esta retrospectiva 2020 das ações encabeçadas pela SNDTur, não poderia faltar, literalmente, a cereja do bolo: o programa nacional para valorização e desenvolvimento do turismo através da gastronomia. Neste ano de 2020, o Ministério do Turismo avançou na criação desta estratégia para impulsionar este segmento, que representa a diversidade de biomas e sabores do país.

Durante a ABAV Collab, maior feira virtual do turismo brasileiro, o Ministério do Turismo apresentou a ação “Cozinha Show”, que consiste na apresentação e montagem de pratos elaborados com ingredientes tipicamente brasileiros. A iniciativa é desenvolvida em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e a Universidade Federal Fluminense durante eventos estratégicos, através de um acordo de cooperação firmado neste ano.

Também está em produção a Webserie Turismo Gastronomia, com a produção de vídeos para divulgar a riqueza da comida brasileira nas redes sociais e em eventos promocionais.